Confira seis dicas para economizar energia elétrica

30/08/2018

Economizar energia elétrica dentro de casa pode trazer um alívio considerável para nosso próprio mundo financeiro. Contas como luz, gás e água são consideradas “vilãs do orçamento” por 33% dos moradores da Região Sul, segundo pesquisa da Boa Vista SCPC.

 

 

 

E há muitas formas de economizar que vão além do “usar menos”. Confira as dicas do coordenador do Laboratório de Eficiência Energética da PUC-RS, Odilon Duarte.

 

1 - Mantenha em dia a manutenção de aparelhos

 

A má conservação de eletrodomésticos impacta diretamente no consumo de energia elétrica. Filtros sujos reduzem em até 20% a eficiência do ar-condicionado e levam a mais gastos para obter o mesmo resultado.

 

O mero ressecamento da borracha de vedação da geladeira ou do freezer também podem sobrecarregar o compressor do equipamento, aumentando o consumo. Teste a sua: abra a geladeira, coloque uma folha de papel entre a borda e a porta e feche. Se o papel sair com facilidade, é preciso trocar a borracha.

 

2 - Avalie a troca de equipamentos com mais de 20 anos de uso

 

No caso de equipamentos com mais de 20 anos, vale avaliar a troca por um mais novo.

 

“O investimento inicial é elevado, mas geladeiras antigas consomem 30% mais energia”, pondera Duarte.

 

Se for permanecer com o eletrodoméstico, faça uma manutenção (limpeza de serpentina, troca de borracha, verificação do compressor e do gás refrigerante), não coloque objetos quentes no refrigerador e pense em que alimentos vai pegar antes de abrir a porta.

 

3 - Escolha a temperatura certa no ar-condicionado

 

Quem utiliza o ar-condicionado por longos períodos, no verão ou no inverno, sabe que a conta de luz vai nas alturas. É possível amenizar o baque, a começar pela temperatura configurada: recomenda-se de 21°C a 23°C no inverno, e de 23°C a 25°C no verão. Cada grau que você aumenta no verão ou diminui no inverno gera economia de 7%. E há outros macetes.

 

“No verão, abra as janelas por alguns minutos e deixe o ar parado, quente pela insolação, dissipar. Depois, ligue o ar somente nas peças onde as pessoas vão permanecer, mantendo portas e janelas fechadas, para ter a mínima troca térmica com outros ambientes”, recomenda Duarte.

 

Pode-se ligar o ventilador simultaneamente, aumentando a sensação de frescor sem precisar baixar tanto a temperatura do ar. No inverno, vale o contrário: após uma rápida arejada na casa, mantenha janelas bem fechadas para barrar a troca com o ar gelado da rua.

 

4 - Se possível, use o chuveiro na posição "verão"

 

“Sempre que possível, deve-se usar o chuveiro elétrico na posição verão, porque esse modo economiza 30% da energia elétrica”, aconselha Duarte.

 

No caso do chuveiro com aquecimento a gás, vale organizar as duchas da família. Se todos tomarem banho em sequência, evita-se que a água já aquecida entre o aquecedor e o chuveiro esfrie entre um uso e outro, reduzindo o desperdício. E não se esqueça da manutenção anual requerida pelo aquecedor a gás.

 

Tanto para chuveiros elétricos quanto para os a gás, vale o puxão de orelha: nada de deixar a água quente correndo para esquentar o banheiro.

 

“O pessoal tem esse hábito de ligar o chuveiro para gerar aquela fumacinha, já que o ambiente do banheiro é muito frio. É um engodo. É preferível utilizar uma estufa elétrica de até 2.000 W”, orienta Duarte.

 

5 - Troque as lâmpadas fluorescentes pelas de LED

 

Duarte recomenda a troca, na medida do possível, das lâmpadas fluorescentes pelas de LED, mais econômicas e de longa durabilidade, ainda que custem mais. Para economizar mais com iluminação, outros fatores têm peso: pintar paredes e tetos em cores claras é imprescindível, pois aumenta a reflexão da luz. E, claro, aproveite a luz natural, mantendo cortinas, persianas e venezianas abertas durante o dia – o que, no inverno, também contribui para aquecer o ambiente.

 

6 - Mude a rede para 220 Volts

 

Devido à má qualidade da infraestrutura de eletricidade no Brasil, trocar a rede de casa para 220 V pode representar economia, além de mais segurança. Pelo menos para o chuveiro elétrico, o impacto da mudança é bastante significativo.

 

“A corrente do chuveiro elétrico é a maior que há na casa. Utilizar o equipamento em 220 V gera economia e um banho de melhor qualidade", avalia Duarte.

 

Fonte: Procel

Please reload

Destaques:

Energia solar é incluída em plano contra crise climática na Alemanha

15/10/2019

1/10
Please reload

Recentes: